O Ementário Jurisprudencial como Fonte de Pesquisa: uma análise crítica a partir dos dados obtidos no estudo "A prática judicial do habeas corpus em Sergipe (1996-2000)"

Andréa Depieri de Albuquerque Reginato, Robson Cosme de Jesus Alves

Resumo


A partir das dificuldades metodológicas e limitações encontradas no desenvolvimento da pesquisa “A prática judicial do habeas corpus em Sergipe (1996-2000)” os autores discutem, nesse estudo, a utilização exclusiva do ementário jurisprudencial como fonte para a pesquisa empírica em Direito, chamando a atenção para os problemas daí decorrentes.

Palavras-chave


Pesquisa empírica; Ementário; Habeas Corpus.

Texto completo:

PDF

Referências


Aguiar, A. K. V. (2007). O problema da pesquisa empírica e sua baixa integração na área de Direito: Uma perspectiva brasileira da avaliação dos cursos de pós-graduação do Rio de Janeiro. In XVI Congresso Nacional do CONPEDI, Belo Horizonte. Disponível em: http://www.conpedi.org.br/manaus/arquivos/anais/bh/alexandre_veronese2.pdf.

Batista, V. M. (2000). O mesmo olhar positivista. Boletim IBCCrim – Edição Especial, 95(8).

Becker, H. S. (1993).Métodos de pesquisa em Ciências Sociais. São Paulo: Editora Hucitec.

Belov, G. (1999). A garantia (constitucional) do procedimento oral no habeas corpus. In R. D. Santos. Introdução Crítica ao Estudo do Sistema Penal. Florianópolis: Diploma Legal.

Berring, R. C (1994). Collapse of the Structure of the Legal Research Universe: the imperative of digital information. Washington Law Review, 69(9), 9-34.

Boletim Jurídico – ementário oficial do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe. Aracaju, anos II a VI , nos 5 a 24. 1996-2000.

Carvalho, E. R. (2004). Em busca da judicialização da política no Brasil: Apontamentos para uma nova abordagem. Revista de Sociologia Política, 23.

Foucault, M. (1996). A verdade e as formas jurídicas. Rio de Janeiro: Nau.

Fragale Filho, R., & Aguiar, A. K. V. (2004). A pesquisa em Direito: diagnóstico e perspectivas. Revista Brasileira de Pós-Graduação, 2(1), 53-70.

Frankfurt, H. G. (2006). On Bullshit. Princeton: Princeton University.

Garapon, A., & Sala, D. (1996). La république penalisée. Paris: Hachette.

Garcia, M. (2009). Le rapport paradoxal entre les droits de la personne et le droit criminel: Les theories de la peine comme obstacles cognitifs à l'innovation(Tese de Doutorado).Université du Québec à Montréal, Canadá.

Garland, D. (2001). The culture of control: Crime and social order in contemporary society. New York: Oxford University.

Koerner, A. (1999). Habeas corpus, prática judicial e controle social no Brasil (1841-1920). São Paulo: IBCCrim.

Laperrière, A. (2008). A teorização enraizada (grounded theory): Procedimento analítico e comparação com outras abordagens. In J. Poupart et al.(Orgs.). A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Vozes.

Nobre, M. (2004). Apontamentos sobre a pesquisa em Direito no Brasil, Cadernos Direito GV, 1(1).

Pires, A. (1991). Éthiques et réforme du Droit Criminel: Au-delà de philosophies de la peine, Ethica, 2(3), 47-78.

Pires, A. (1998). La formation de la rationalitépénale moderne au XVIIIesiècle, In C. Debuyst, F. Digneffeet, A. Pires. (Orgs.). Histoire des savoirs sur le crime et la peine (vol.2). Bruxelles: De BoeckUniversité.

Pires, A. (2010). Observing discourses on criminal punishment: A review of Tom Daems, ‘Making Sense of Penal Change’,Kriminologisches Journal, 2(42), 154-15.

Reginato, A. D. A. (2001) Sistema Penal e Estado Democrático de Direito: Uma análise crítica das práticas punitivas e da sua justificação (Dissertação de mestrado). Universidade Federal do Ceará, Brasil.

Rodriguez, J. R. (2006). Pesquisa empírica e Estado de Direito: A dogmática jurídica como controle do poder soberano, XV Congresso Nacional do CONPEDI. Disponível em: http://conpedi.org.br/manaus/arquivos/anais/manaus/teoria_do_direito_jose_rodrigo_rodriguez.pdf.

Veçoso, F.F.C. et al. (2012) As bases eletrônicas de julgados: matrizes de análise e aplicação no Supremo Tribunal Federal e no Superior Tribunal de Justiça. Comunicação oral. II Encontro de Pesquisa Empírica em Direito. Ribeirão Preto. Resumo disponível em: http://reedpesquisa.org/wp-content/uploads/2012/06/Fabia-F-C-Vecoso-et-al.pdf

Wacquant, L. (2001). As prisões da miséria. Rio de Janeiro: Zahar.

Warat, L. A. (1988). O sentido comum teórico dos juristas. In L. A. Warat. A crise do Direito numa sociedade em mudança. Brasília: UnB.

Zaffaroni, R. E. (1998). Em busca das penas perdidas: A perda de legitimidade do sistema penal (3ed). Rio de Janeiro: Revan.

Zaffaroni, R.E e Pierangeli, J.H (1997) Manual de direito penal brasileiro: parte geral. São Paulo: RT.




DOI: http://dx.doi.org/10.19092/reed.v1i1.11

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Indexado em:

  Crossref logo periodicos logo j4f logo worldcat logo sherpa romeo