Advogados e política: notas a partir da observação de um encontro de advogados populares no início dos anos 2000

Frederico de Almeida

Resumo


Este texto tem por objetivo apresentar um relato de observação de um encontro de advogados populares brasileiros no início dos anos 2000. Embora trate-se de um relato isolado, exploratório e datado, acredita-se que sua publicação pode contribuir para outros estudos sobre o mesmo objeto, por representar uma fonte rica de informações sobre um objeto ainda pouco estudado; e por trazer dados sobre essa modalidade de advocacia politicamente orientada em um momento de mudanças nas relações desse grupo profissional com o Estado, o direito, os governos e as instituições de justiça. Ao final, os dados extraídos do relato de observação são analisados em face da literatura sobre a relação entre advogados e política, a fim de se apresentar explicações e hipóteses a serem desenvolvidas sobre a advocacia popular contemporânea no Brasil.


Palavras-chave


advocacia; advocacia popular; advocacia e política; advogados; advogados populares

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, F. N. R. de. (2005). A advocacia e o acesso à justiça no estado de São Paulo (1980-2005). Universidade de São Patlo.

Almeida, F. de; Noronha, R. (2015). Advogando nas ruas: advocacia em protestos urbanos em São Paulo e no Rio de Janeiro (2013-2015). In 39o Encontro Anual da Anpocs. Caxambu.

Becker, H. S. (2014). A epistemologia da pesquisa qualitativa. Revista de Estudos Empíricos Em Direito, 1(2), 184–198.

Bonelli, M. da G. (2002). Profissionalismo e política no mundo do direito: as relações dos advogados, desembargadores, procuradores de justiça e delegados de polícia com o Estado. São Carlos: EdUFSCar; Sumaré.

Bonelli, M. da G.; Cunha, L. G.; Oliveira, F. L. de; Silveira, M. N. B. da. (2008). Profissionalização por gênero em escritórios paulistas de advocacia. Tempo Social, 20(1), 265–290.

Campilongo, C. F. (2000). Assistência jurídica e advocacia popular: serviços legais em São Bernardo do Campo. In C. F. Campilongo (Ed.), O direito na sociedade complexa (pp. 15–52). São Paulo: Max Limonad.

Carlet, F. (2015). Advocacia Popular: práticas jurídicas contra-hegemônicas no acesso ao direito e à justiça no Brasil. Revista Direito E Práxis, 6(10), 377–411.

Cunha, L. G.; Bonelli, M. da G.; Oliveira, F. L. de; Sil. (2007). Sociedades de advogados e tendências profissionais. Revista Direito GV, 3(2), 111–138.

Engelmann, F. (2006a). Internacionalização e ativismo judicial: as causas coletivas. Lua Nova: Revista de Cultura E Política, (69), 123–146.

Engelmann, F. (2006b). Sociologia do campo jurídico: juristas e usos do direito. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris.

Falcão, J. de A. (1984). Os advogados: ensino jurídico e mercado de trabalho. Recife: Massangana.

Falcão, J. de A. (1989). Democratização e serviços legais. In J. E. Faria (Ed.), Direito e Justiça: a função social do Judiciário1 (pp. 145–158). São Paulo: Ática.

Guanabara, R. (1996). Visões alternativas do direito no Brasil. Estudos Históricos, (18), 403–416.

Haddad, E. G. de M. (2006). Conflitos agrários: resistência a uma nova concepção de justiça. Revista Brasileira de Ciências Criminais, 14(62), 265–279.

Halliday, T. C. (1999). The politics of lawyers: an emerging agenda. Law & Social Inquiry, 24(4), 1007–1011.

Herrera Flores, J.; Sánchez Rubio, D. (1993). Aproximación al derecho alternativo en Iberoamérica. Jueces Para La Democracia, 1(20), 87–93.

Instituto Brasileiro de Ciências Criminais, & Instituto de Defesa do Direito de Defesa. (2005). Decisões judiciais nos crimes de roubo em São Paulo: a lei, o direito e a ideologia. São Paulo: IBCCRIM.

Junqueira, E. B. (1996). Naranjas y manzanas: dos modelos de servicios legales alternativos. El Otro Derecho, 7(21), 27–57.

Junqueira, E. B. (2002). Los abogados populares: en busca de una identidad. El Otro Derecho, (26-27), 193–227.

Karam, M. L. (1996). A esquerda punitiva. Discursos Sediciosos, 1(1), 79–92.

Lima, R. K. de. (1997). A antropologia da academia: quando os índios somos nós (2nd ed.). Niterói: EDUFF.

Lima, R. S. de; Almeida, F. de,; Sinhoretto, J. (2011). Visões de política criminal em São Paulo. In R. S. de Lima (Ed.), Entre Palavras e Números: Violência, Democracia e Segurança Pública no Brasil. São Paulo: Alameda.

Lima, R. S. de; Strozake, J. J. (2006). Garantias constitucionais e prisões motivadas por conflitos agrários no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Criminais, 14(60), 321–339.

Motta, M. S. da. (2006). A Ordem dos Advogados do Brasil: entre a corporação e a instituição. Ciência Hoje, 39, 32–37.

Oliveira, L. B. de. (2015). A atuação complexa da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) na crise política do governo de Fernando Collor de Mello. Universidade Estadual de Campinas.

Pitch, T. (1995). Limited responsibilities: social movements and criminal justice. London: Routledge.

Rede Nacional de Advogados Populares. (n.d.). Histórico. Retrieved September 3, 2015, from

Rollemberg, D. (2008). Memória, Opinião e Cultura Política. A Ordem dos Advogados do Brasil sob a Ditadura (1964-1974). In D. A. Reis & D. Rolland (Eds.), Modernidades Alternativas (Vol. 1, pp. 57–96). Rio de Janeiro: Fundação Getulio Vargas.

Sá e Silva, F. de. (2012). Lawyers and Governance in a Globalizing World: Narratives of “Public Interest Law” Across the Americas. Northeastern University.

Sá e Silva, F. de. (2015). Hegemonia e contra-hegemonia na globalização do direito: a “advocacia de interesse público” nos Estados Unidos e na América Latina. Revista Direito E Práxis, 6(10), 310–376.

Sinhoretto, J.; Almeida, F. de. (2006). A judicialização dos conflitos agrários: legalidade, formalidade e política. Revista Brasileira de Ciências Criminais, 14(62), 280–334.

Terra de Direitos. (2007). Carta do Seminário Nacional: REFORMA AGRÁRIA E DIREITOS TERRITORIAIS – Camaragibe/Pernambuco. Retrieved September 3, 2015, from

Valladares, L. (2007). Os dez mandamentos da observação participante. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 22(63), 153–155.

Zaccarelli, L. M.; Godoy, A. S. (2010). Perspectivas do uso de diários nas pesquisas em organizações. Cadernos EBAPE.BR, 8(3), 550–563.




DOI: http://dx.doi.org/10.19092/reed.v3i2.129

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Indexado em:

  Crossref logo periodicos logo j4f logo worldcat logo sherpa romeo