Alienação parental e o sistema de justiça brasileiro: uma abordagem empírica

Mariana Cunha de Andrade, Sergio Nojiri

Resumo


A presente pesquisa aborda o papel do Judiciário na resolução dos conflitos que envolvem a alienação parental. Como o Poder Judiciário encara as alegações de alienação parental ou de abuso sexual? Qual é o sexo predominante dos genitores alienadores? Quais os atos de alienação parental que são alegados pelas partes? Quais medidas os magistrados tomam para que a alienação parental seja evitada? As respostas para essas perguntas são obtidas mediante pesquisa empírica. Para tanto, foi feita uma coleta de dados sobre casos envolvendo alienação parental nos Tribunais de Justiça de São Paulo e de Minas Gerais, entre os anos de 2009 e 2014. Trata-se, portanto, de um estudo demográfico e empírico quantitativo que busca um panorama das ações que envolvem o fenômeno da alienação parental. 


Palavras-chave


síndrome da alienação parental; alienação parental; falsas memórias; pesquisa empírica; análise jurisprudencial

Texto completo:

PDF

Referências


Brockhausen, T. (2011). Sap e psicanálise no campo jurídico: de um amor exaltado ao dom do amor. Dissertação de Mestrado, Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Figueiredo, F. V., & Alexandridis, G. (2014). Alienação parental: aspectos materiais e processuais da Lei n. 12.318, de 26-8-2010. São Paulo: Saraiva.

Freitas, D. P. (2014). Alienação Parental: Comentários à Lei 12.318/2010. Rio de Janeiro: Forense.

Gardner, R. A. (1998). The parental Alienation Syndrome. Cresskill, NJ: Creative Therapeutics Inc.

Guazelli, M. (2013). A falsa denúncia de abuso sexual. In: Dias, M. B. (coord.). Incesto e alienação parental - De acordo com a Lei 12.318/2010 (Lei de Alienação Parental). São Paulo: Revista dos Tribunais.

Lôbo, P. (2014). Direito Civil – Famílias. São Paulo: Saraiva.

Madaleno, A. C. C., & Madaleno, R. (2013). Síndrome da Alienação Parental: a importância de sua detecção com seus aspectos legais e processuais. Rio de Janeiro: Forense.

Oliveira, M. H. C. P. (2012). A Alienação Parental como forma de abuso à criança e ao adolescente. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Perez, E. L. (2013). Breves comentários acerca da Lei da Alienação Parental (Lei 12.318/2010). In: Dias, M. B. (Coord.). Incesto e alienação parental - De acordo com a Lei 12.318/2010 (Lei de Alienação Parental). São Paulo: Revista dos Tribunais,

Rand, D. C. (1997). The Spectrum of Parental Alienation Syndrome, Part II. American Journal of Forensic Psychology, 15(4), 1-33.

Silva, D. M. P. (2011). Guarda compartilhada e síndrome de alienação parental: o que é isso? Campinas: Armazém do Ipê.

Veçoso, F. F. C., Pereira, B. R., Perruso, C. A., Marinho, C. M., Babinski, D. B. O., Wang, D. W. L., Guerrini, E. W., Palma, J. B., & Salinas, N. S. C. (2014). A pesquisa em Direito e as Bases Eletrônicas de Julgados dos Tribunais: matrizes de análise e aplicação no supremo tribunal federal e no superior tribunal de justiça. Revista de Estudos Empíricos em Direito, 1(1), 105-139.

Warshak, R. A. (2013). What is Parental Alienation? Recuperado em 22 de julho, 2015, de http://www.warshak.com/publications/what-is-parental-alienation.html.




DOI: http://dx.doi.org/10.19092/reed.v3i2.132

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Indexado em:

  Crossref logo periodicos logo j4f logo worldcat logo sherpa romeo